quinta-feira, 6 de abril de 2017

ARTIFICIO


Minha mole carne treme entre as coxas
Estou nu. O pobre está nu.
E o que se vê não é a alma
Nem o corpo.
Artifício.
A nudez é a máscara.
Minha carne treme
Buscando não a sua alma.
Orifício:
Ouro de artífice.


Rubem Leite é escritor, poeta e crontista. Escreve ao Ad Substantiam semanalmente às quintas-feiras; e todo domingo no seu blog literário: aRTISTA aRTEIRO.  É professor de Português, Literatura, Espanhol e Artes. É graduado em Letras Português; tem quatro pós-graduações e é Mestrando em Educação pela Universidad Europea del Atlántico. Foi, por duas gestões, Conselheiro Municipal de Cultura em Ipatinga MG (representando a Literatura).


Escrito no início da tarde de 12 de março de2017 e trabalhado entre os dias 03 e 06 de abril de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário