segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Uma conversa cíclica em um ônibus ocorrida em um dia qualquer...


Ilustração de Stiven Valerio
https://stivenart.wordpress.com/


–  Não gostei do que ela fez.
– Eu agiria igual.
– Deixar o marido só porque ele perdeu o emprego?
– Claro! Comigo é só se tiver como sustentar.
– Mulher de verdade não faz isso.
– Então diz o que mulher de verdade faz.
– Não sei o que faz, mas sei o que não faz, e só uma mulher muito safada deixaria o marido por causa de dinheiro.
– Vai nessa que é.
– Mulher de verdade não confunde amor com dinheiro.
– Sem dinheiro não tem amor.
– Claro que tem.
– Isso não existe.
– Quem ama perdoa, fica!
– E quem ama passa fome, é?
– Diga o que quiser, não gostei do que ela fez.

– Pois eu agiria igual.




SUED

Nome artístico de Línik Sued Carvalho da Mota, é romancista, novelista, cronista e contista, tendo dois livros publicados, também é graduanda em História pela Universidade Regional do Cariri. Militante comunista, acredita no radicalismo das lutas e no estudo profundo de política, sociologia, História e economia como essenciais para uma militância útil.
Escreve ao Ad Substantiam semanalmente às segundas-feiras.
Contato: lscarvalho160@gmail.com




2 comentários: