segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Ridícula



As luzes ficam mais fortes, meus pensamentos bagunçam como um castelo de cartas que desaba sobre o próprio peso, escuto o som das batidas do meu coração como o trotar de um cavalo furioso, minha respiração perde o compasso, extingue-se o padrão, meu peito sobe e desce, meu abdômen é tomado de espasmos, desencadeia-se, atrás de minhas orelhas, um formigamento que se espalha como chamas pelo meu corpo.
Minhas mãos puxam meus cabelos, todos os passos despertam minha atenção, os dentes chocam-se. Uma garota aproxima-se, fico pior a cada movimento dela em minha direção, ela vem rápido, levando o descompasso de minha respiração às alturas.
– Por que ela está vindo? – Articulo para mim mesma entre pensamentos desordenados.
– Você está bem? – Ela agacha-se, direciona sua pequena mão a mim.
– Não, não, não! – Exclamo, alucinada, empurrando seu braço.
– O que está havendo?! – Pergunta ela, desesperando-se.
– Formigando, formigando! – É tudo que consigo responder.
Ela fica sem reação diante de mim, a olhar inquieta para todos os lados. Aproxima-se mais uma vez, tenta me pegar pelo braço, afasto sua mão bruscamente e a empurro, me afastando mais alguns centímetros e subindo, de cócoras, uns dois degraus. Ela, por sua vez, tropeça nas próprias pernas com o meu empurrão, cai de costas sobre os degraus e desaba até o fim da escada, quando suas costas estiram-se bruscamente sobre o chão e sua cabeça bate com força no piso de cimento áspero da calçada. Sua perna treme, logo todo o seu corpo é tomado por espasmos fortíssimos e grunhidos articulam-se através de seus lábios cortados.
Minhas mãos tremem e o formigamento persiste, a respiração não normaliza, estou aterrorizada. Agora virão mais pessoas com essa epiléptica na calçada.
– Eu não quero morrer, eu não quero morrer. – Repito, puxando meus cabelos violentamente.
Vão descobrir o quanto sou ridícula, todos vão saber...

– Eu vou morrer! – Exclamo, socando os joelhos.



SUED

Nome artístico de Línik Sued Carvalho da Mota, é romancista, novelista, cronista e contista, tendo dois livros publicados, também é graduanda em História pela Universidade Regional do Cariri. Militante comunista, acredita no radicalismo das lutas e no estudo profundo de política, sociologia, História e economia como essenciais para uma militância útil.
Escreve ao Ad Substantiam semanalmente às segundas-feiras.
Contato: lscarvalho160@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário