sábado, 22 de outubro de 2016

O nostálgico sem rumo



















Nostálgico, deveras nostálgico,
me embriagado em copos de melancolia,
tropeçando em versos de amor e sofrimento.
Nostálgico, deveras nostálgico.

Perdido, deveras perdido,
Enterrando-me nas minhas ideias embrionárias,
Nas minhas gotas de chuva e em meus navios vazios...
Perdido, deveras perdido.

Nostálgico, deveras nostálgico,
entregando-me cada vez mais ao passado,
ignorando o agora e adiando o depois.
Nostálgico, deveras nostálgico.

Perdido, deveras perdido,
Sem mente, sem corpo, sem nada...
Só eu e as águas em que me abrigo, afogo passados.
Perdido, deveras perdido.

Meu âmago grita e geme,
chora todas as lágrimas que pode chorar
por saudades de um tempo que jamais voltará a existir.
Nostálgico, deveras nostálgico.

Perdido, deveras perdido,
Talvez algum dia me ache, ache-me quiçá perdido.
Sou eu escravo dos meus próprios passados e
Ultrapassado pelo próprio destino.

DUETO COM O GRANDE POETA E AMIGO VINICIUS SIMAN!!


Josué da Silva Brito
Escritor, paracatuense, acadêmico de medicina e militante dos direitos humanos. Tem seis livros publicados.
Escreve ao Ad Substantiam semanalmente aos sábados.
Contato: josuedasilvabrito1998@gmail.com

2 comentários:

  1. Boa noite, Josué e Vinicius.
    A parceria de vocês ficou muito boa.
    Tanto sofrimento, dor atroz de sentimentos que não voltam mais ficando uma grande saudade e um corpo frágil de tanto chorar.
    Essa fase é necessária ser vivida,assim como a alegria.
    Tudo faz parte do ser e sempre após uma grande dor,um estado de depressão, vamos ganhando força para recomeçar.
    A vida é cíclica, feita de alegrias e dores com total intensidade.
    Souberam expressar bem demais a apatia.
    Essa fase de não viver o agora e agarrar-se nas teias do passado é perigosa demais, tudo tem um limite.
    Parabéns aos dois.
    Beijos na alma.
    Lindo fim de semana de paz.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Josué e Vinicius.
    A parceria de vocês ficou muito boa.
    Tanto sofrimento, dor atroz de sentimentos que não voltam mais ficando uma grande saudade e um corpo frágil de tanto chorar.
    Essa fase é necessária ser vivida,assim como a alegria.
    Tudo faz parte do ser e sempre após uma grande dor,um estado de depressão, vamos ganhando força para recomeçar.
    A vida é cíclica, feita de alegrias e dores com total intensidade.
    Souberam expressar bem demais a apatia.
    Essa fase de não viver o agora e agarrar-se nas teias do passado é perigosa demais, tudo tem um limite.
    Parabéns aos dois.
    Beijos na alma.
    Lindo fim de semana de paz.

    ResponderExcluir