sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Os vereadores da família e seus cursos de capacitação

Ando vendo campanhas de candidatos a vereadores bem pitorescas por estas bandas. O "vereador da família" (que divide o título com mais uns dez vereadores, no mínimo), Nilsin da Transnil (PT do B), candidata-se mais uma vez, com o mesmo slogan que usou em sua candidatura pra deputado estadual: "é de Deus!".
Outro "vereador da família", Roberto Carlos (PT do B), que exibe em seu site, apoteoticamente, logo abaixo de sua logotipo, os seguintes dizeres: "suplente de deputado federal", candidata-se a prefeito.
Mais um da trupe conservadora, o vereador Ley do Trânsito (PSD), acostumado com seus shows circenses na plenária da Câmara, distribui santinhos que falam de sua índole impecável, de seu desempenho surreal e de sua vida digna do voto de qualquer um.
Em março do ano passado saiu uma matéria no Estado de Minas com o seguinte título: "Vereadores de Ipatinga levantam suspeitas com cursos de capacitação em cidades turísticas". No artigo, vê-se que, em 2014, quatorze dos dezenove vereadores gastaram cerca de R$ 400 mil em viagens para "cursos de capacitação" em cidades turísticas no Nordeste e Sul do país.
O que mais gastou com esses cursos de capacitação?
Ley do Trânsito, o amigo da população ipatinguense, defensor da família, da moral e dos bons costumes, contra a corrupção e quaisquer práticas ilícitas. O vereador gastou R$ 66.662,69 nesses cursos e, entre 28 de outubro e 31 de dezembro de 2014, passou apenas 29 dias na cidade onde legisla, ou, pelo menos, deveria legislar. Em suas diárias mais baratas, gastou R$ 4.257,90, de 8 a 13 de abril em Curitiba, de 13 a 18 de maio em Foz do Iguaçu e de 13 a 18 de outubro em Florianópolis.
Em segundo lugar, Léo Escolar, do PC do B, gastou R$ 37.369,83 em viagens, se preocupando em ser um bom legislador pra Ipatinga.
Já Roberto Carlos, do PT do B, usufruiu de R$ 34.347,42 em viagens — também pra cursos de capacitação, claro!
Apenas cinco vereadores não fizeram "cursos de capacitação". Adelson Fernandes (PSB), Lene Teixeira (PT), Nilson Lucas (PMDB), Saulo Manoel (PT) e Sebastião Guedes (PT). É, de fato, um absurdo! Como pode, vereadores sem cursos de capacitação legislarem uma cidade!?
E, pra fechar com chave de ouro, uma pergunta que ainda não se calou e nem se calará enquanto meu teclado suportar o peso dos meus dedos: QUEM MATOU RODRIGO NETO?


FONTE:

ESTADO DE MINAS, Vereadores de Ipatinga levantam suspeitas com cursos de capacitação em cidades turísticas, encontrado em <http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2015/03/25/interna_politica,630971/vereadores-no-paraiso.shtml>, acesso em 26 de agosto de 2016.



Vinícius Siman

Escritor, diretor, crítico de arte e militante dos direitos humanos. Tem nove livros publicados.
Escreve ao Ad Substantiam semanalmente às sextas-feiras.
Contato: souzasiman@gmail.com

SITE - FACEBOOK - TWITTER - INSTAGRAM

Um comentário:

  1. A mim, a pergunta que não se cala é:
    O que é pior, o ver-a-dor (alheia, claro), digo, vereador ter ficado só 29 dias em Ipatinga ou ter ficado isso tudo?
    De qualquer modo, foi um mês defecando mazelas públicas...

    ResponderExcluir